PPP Municipal da Habitação tem primeira obra iniciada

Concessionária será responsável pela construção de 400 unidades habitacionais na Zona Norte

Serão investidos no local cerca de R$ 25 milhões de recursos privados (Divulgação: Prefeitura de São Paulo)

Na última sexta feira, 14, foi realizada a transferência da área da Avenida Comandante Antônio de Paiva Sampaio, no Tucuruvi, Zona Norte da capital, para a concessionária que será responsável pela construção de 400 unidades habitacionais. Esta foi a primeira de muitas ações da primeira Parceria Público-Privada (PPP) Municipal da Habitação, que prevê, no total, 22.430 novas moradias para a cidade de São Paulo.

Segundo o Prefeito Bruno Covas serão investidos no local cerca de R$ 25 milhões de recursos privados. “Esse é um dos exemplos das quase 25 mil unidades habitacionais que nós estamos provendo através dessa PPP e que serão entregues pela próxima gestão. A expectativa é que, em 18 meses, a gente possa começar a entregar as unidades habitacionais corrigindo uma das maiores distorções que nós temos na cidade que é a questão habitacional”, disse.

Em maio de 2019, a Prefeitura realizou a cerimônia de autorização das assinaturas dos contratos de concessão administrativa para as empresas vencedoras da concorrência. A empresa responsável por essa área é o Consórcio Habita Brasil. O terreno faz parte do lote 12 que foi publicado no edital da primeira fase da Parceria.

O prefeito Bruno Covas destacou que, por meio da PPP, também serão construídos equipamentos públicos na região.”Também teremos um investimento privado para poder beneficiar a região. Estamos discutindo se o melhor é uma UBS ou uma creche”, disse Covas.

PPP

Essa é a primeira Parceria Público-Privada dedicada a habitação no âmbito municipal. Ela tem o objetivo principal de aumentar a oferta de moradias na cidade, que atualmente possui um déficit habitacional estimado em 474 mil domicílios, dos quais 368 mil se referem às necessidades das famílias com renda mensal bruta de até seis salários mínimos. Em suas duas fases estão previstas a construção de 22,4 mil novas habitações por meio da iniciativa privada. A demanda será definida prioritariamente pela Prefeitura de São Paulo, (Cohab-SP e Sehab) e atenderá também, famílias indicadas pelo Governo do Estado, desde que residentes na capital paulista.

Notícia publicada em: 20 de agosto de 2020

Habitação, Notícias, Obras

]