Prefeitura de SP distribui cartilha em tupi

Iniciativa reforça medidas de contenção do coronavírus em aldeias indígenas

Agentes das equipes de saúde da Atenção Básica da SMS em visita às aldeias. (Divulgação: Prefeitura de São Paulo)

Agentes das equipes de saúde da Atenção Básica da SMS em visita às aldeias. (Divulgação: Prefeitura de São Paulo)

Uma das medidas desenvolvidas pela Prefeitura de São Paulo para proteger as comunidades indígenas foi criar uma cartilha em tupi informando sobre a importância dos cuidados preventivos com o novo coronavírus. Atualmente, São Paulo abriga aproximadamente 13 mil indígenas. Deste total, 1.635 vivem nas 11 aldeias da cidade, em Tenondé Porã, extremo sul da capital e no Jaraguá, zona norte.

Além da cartilha, a Prefeitura antecipou a vacinação contra a Influenza para a população indígena, alcançando a marca de 1.699 doses aplicadas. Também foram disponibilizadas equipes de saúde da Atenção Básica da SMS que realizam ações para reduzir o risco de transmissão da covid-19, detectando precocemente sintomáticos e monitorando casos suspeitos ou confirmados.

Desde o início da quarentena na cidade, as aldeias indígenas restringiram visitações, deixaram de compartilhar cachimbos e não se aglomeram. Em casos de identificação de pacientes sintomáticos da doença, Centros de Acolhimento foram cedidos para abrigá-los, sendo 35 leitos nas aldeias Tenondé Porã e Krukutu e 25 leitos na aldeia Jaraguá.

Notícia publicada em: 24 de maio de 2020

Notícias, Saúde

]