São Paulo divulga resultados de novo inquérito sorológico

Levantamento mostra 13,6% da população da capital contraiu o coronavírus

O novo inquérito sorológico sobre a Covid-19 na cidade de São Paulo, foi divulgado nesta terça-feira, 13, em coletiva pelo prefeito Bruno Covas. O levantamento mostra 13,6% da população da capital contraiu o vírus, o que representa 1.614 milhão de pessoas.

De acordo com os dados, proporcionalmente a distribuição da doença é maior na zona sul, com 19,9% de incidência para o total de moradores, isto é, praticamente um a cada quatro residentes na região contraíram a doença. Na sequência, as mais afetadas são as zonas norte (13,8%), leste (11,8%), sudeste (10,3%) e centro-oeste (5,5%).

Segundo o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, a contaminação é mais elevada nas chamadas regiões chamadas”dormitório”, em que grande parte da população precisa se deslocar para áreas centrais para trabalhar. Ele ainda destacou que o pico de incidência na fase 5 coincidiu com uma maior flexibilização da quarentena na capital paulista. Outro dado do levantamento é que 35,3% dos casos foram assintomáticos.

Os resultados apresentados são das fases 6 e 7 do inquérito sorológico feito com a população com 18 anos ou mais. Foram amostraras de 2.016 adultos, que abrangem as regiões de todas as UBSs da cidade, sorteados a partir de dados de IPTU, hidrômetro e Estratégia Saúde da Família (ESF).

Quarto inquérito sorológico com crianças e adolescentes

Pelo menos 236.841 crianças e adolescentes em idade escolar já foram infectadas pela Covid-19 em algum ponto da pandemia, sendo que cerca de 64,9% dos casos foram assintomáticos. O resultado representa 16% de todos os estudantes de ensino fundamental e médio da capital paulista.

O documento explica que o número de crianças assintomáticas que testaram positivo para a Covid-19 é o dobro da prevalência entre adultos. Entre os professores, a prevalência está entre 4,5% e 7,8%.

As testagens utilizam o método imunocromatográfico com 97,87% de sensibilidade. A Prefeitura ainda realiza, em paralelo, um censo com alunos e professores da rede municipal, que terá a primeira fase divulgada em 22 de outubro e deve servir de apoio para as decisões a respeito da volta das aulas regulares de forma presencial nas escolas da Prefeitura, cujo retorno em 3 de novembro foi adiado.

Notícia publicada em: 13 de outubro de 2020

Educação, Notícias, Saúde

]